Julianne Trevisol
Julianne Trevisol (Reprodução/ Instagram)

Com uma fantasia que definiu com psicodélica, Julianne Trevisol desfilou como  musa da Grande Rio no primeiro dia de desfiles das escolas do grupo Especial no Rio. “Acho que é um pouquinho inspirada nos Vips, na energia mais psicodélica, de personalidade, tem muita a ver tanto com o nosso guerreiro (Chacrinha) da TV brasileira, com um pouco de chacrete, um pouco de Elke com sua exuberância, então eu acho que juntando todas essas energias foi a grande inspiração, eu amei, to muito feliz, fiquei apaixonada.”, disse.

Leia também: Radical! Bruno Gissoni esbanja coragem em foto ‘nas alturas’

Desfilando com musa da agremiação pelo terceiro ano, a atriz disse que esse ano foi diferente. “Esse ano foi muito especial pra mim, porque o Jayder (Soares) não tava com a gente (ele está afastado para tratar um câncer), ele é o coração dessa escola,  mas ele tava de alma, e ninguém deixou a peteca cair. A gente cantou até o final, eu sambei até o final, eu cheguei aqui  mais cansada que todos os outros anos”, explicou.


Sobre o fato da agremiação ter passado do tempo limite, a atriz disse que só ficou sabendo no final do desfile. “Nem sei o que aconteceu. Estava focada no samba no pé e sorriso no rosto”, afirmou Julianne, que intensificou o ritmo da preparação do carnaval depois do réveillon. “Não é só a questão estética, mas a questão da resistência. Então alimentação conta tudo, é um staff que a gente conta, desde o personal, o trabalho de estética . Fui pra um SPA uma semana antes, fiquei quatro dias, fazendo um equilíbrio alimentar e também um equilíbrio mental mesmo, pra gente estar bem para a Avenida.”

Com 34 anos, Julianne não teve a oportunidade de acompanhar muito os programa do Chacrinha, mas disse que conheceu bastante através da irmã mais velha. “Eu vim da geração fresca do Chacrinha. Eu acho que é isso que a gente canta na nossa música: ‘alegria, alegria’. É um velho guerreiro tropicalista. Ele vem de uma época muito importante pra nossa história do Brasil, onde ele construiu muito a identidade da TV brasileira junto com as grandes emissoras”, analisou.