Após polêmicas, banda Gospel NLM se pronuncia oficialmente

Banda armou eventos por várias cidades do Brasil com nomes conhecidos do underground e atraiu público para cultos religiosos sem aviso prévio

Publicado em 22/06/2022 14:49
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desde a última segunda-feira (20/06), a história da banda que veio para o Brasil fazer ‘evangelização surpresa’ ganhou grande repercussão. Após a polêmica viralizar nas redes sociais, o grupo identificado como NLM publicou uma nota nesta quarta-feira (22/06) comentando o assunto.

A princípio, parecia só mais uma banda de pop punk com som cristão (até aí, tudo bem). Mas os shows realizados em solo brasileiro se tornavam grandes pregações evangélicas problemáticas e sem aviso prévio. Quanto a isso, o grupo escreveu nas redes sociais:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Nós entendemos que muitas pessoas se sentiram traídas e enganadas pela mensagem do nosso show. Nunca foi nossa intenção e pedimos desculpas para aqueles que machucamos, de verdade. Somos seguidores de Jesus e comunicamos quem Ele é e o que fez em nossas vidas, através da nossa performance. Não viemos aqui para julgar ninguém”, diz um trecho da nota.

A banda afirmou que buscou apenas comunicar de maneira artística a mensagem mais valiosa, no entendimento dos integrantes, que é “o amor de Jesus”, e pontuou que todo indivíduo, independentemente de qualquer coisa, merece respeito.

Por fim, a NLM reiterou o pedido de desculpas aos que se sentiram desconfortáveis e machucados com toda a situação, e se colocaram disponíveis para “qualquer um que queira ter uma conversa respeitosa”.

Leia a nota na íntegra:

Nota da banda NLM na íntegra (Reprodução/Instagram)

NLM: o grupo evangélico disfarçado de banda de pop punk

A polêmica envolvendo a NLM força quando Gabriela Cavalherio, que é produtora de conteúdo e estava no show de São Paulo, realizado no Carioca Club na última sexta-feira (17/04), fez uma longa thread no twitter, contando sobre as nuances do show, e como a coisa descamba de uma apresentação de rock para uma pregação evangélica sem aviso prévio e problemática.

A banda sobe ao palco e toca suas músicas e apresenta ao público algo bem performático: bailarinos, pirofagia, malabaristas e outros elementos artísticos. Algo definido por Gabriela como um “Panic! At The Disco de baixo orçamento”. Mas, na parte final do show, a coisa começa a mudar de figura.

A banda faz uma encenação de um suicídio no palco, assunto bastante delicado. Tudo isso para ilustrar uma batalha de vida contra morte, onde a ‘cura’ para o que eles chamaram de ‘escravidão espiritual’ seria o ‘amor de Deus’. Depois disso, uma roda de oração é instaurada no recinto e, ali, eles começam a evangelizar o público. Pessoas que estavam presentes nos shows confirmaram à coluna que alguns presentes se sentiram desconfortáveis e tiveram gatilhos emocionais ativados.

Confira o momento da ‘tal ressurreição’ encenada pela NLM:

A NLM (abreviação para No Longer Music) é formada por artistas-missionários de várias partes do mundo, como Estados Unidos, Brasil, Uruguai, Finlândia e outros países. A trupe faz um som com raízes no pop punk e outras vertentes do movimento emo, mas sua origem está calcada em outro movimento: o cristão. A banda surgiu dentro de um grupo de estudos chamado Steiger, que foi fundado na Holanda, em 1983, por um pregador chamado David Pierce, que buscava evangelizar jovens no auge do movimento punk europeu

A estratégia da organização cristã visa penetrar o que eles chamam de ‘cultura jovem global’, como os shows de rock e outras manifestações culturais. Desta forma, a Steiger já atua em vários países mundo afora (Leia a reportagem completa sobre a Steiger e a NLM aqui).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio