Amor Verdadeiro

Léo Duarte revive momento de resgate e expressa opinião sobre venda e adoção de animais

Médico veterinário resgatou sua cachorra no meio da estrada e hoje incentiva milhares a fazerem o mesmo e inclusive aceitarem pets em lugares, incluindo nos trabalhos

Publicado em 28/03/2023 15:40
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Existem coisas que tornam as pessoas melhores, como atos de bondade, honestidade e amor pelos animais. Mas não adianta ser gentil se você não gosta do animal. Não adianta ser honesto e não simpatizar com um animalzinho que precisa de ajuda. Felizmente, a comunidade de bem-estar animal cresceu e alguns estão fazendo grandes esforços para fornecer lares e resgatar animais necessitados.

Baseado nesse amor pelos animais, Léo Duarte tornou-se veterinário e em um ato heroico salvou a vida de uma cachorrinha chamada Vitória. Ele deu a ela um lar e todo o amor e cuidado de que ela precisava. No caminho pela rodovia, Leo se separou de um vira-lata que estava encurralado e gravemente ferido. Acredita-se que devido ao atropelamento, ele não pensou duas vezes, parou o trânsito que o salvou. Ela correu para a clínica mais próxima, onde foi medicada e diagnosticada. Lá, Vitória recebeu todos os cuidados veterinários necessários e acabou roubando o coração do médico que decidiu ficar com ela.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apesar de ter outros dois bichinhos, Léo não pensou nas consequências de adotar outro, e logo o casal de cachorros virou um trio com a chegada de Vitória. Ao compartilhar o processo de resgate e recuperação de seu novo cachorrinho, Léo se viu na posição de influenciador doméstico e passou a criar e compartilhar conteúdos sobre saúde veterinária, dicas de cuidados e diversão com os animais. O crescimento das redes foi rápido e inevitável. Com isso, Vitória, seus bichinhos e a tutora têm muitas oportunidades de trabalho. E assim foram criados os produtos Vitória Pet.

Empresas de sucesso são uma pequena parte da verdadeira missão do Dr. Léo Duarte, para espalhar amor e cuidado com os animais e adoção responsável. Com mais de 10 anos de atuação na medicina veterinária, o profissional já passou por grandes empresas do mercado pet como a Royal Canin. Hoje trabalha com sua marca exclusiva de produtos pet e como produtor de conteúdo. Em seu Instagram, que conta com mais de 220 mil seguidores, você não pode deixar de se encantar com a fofura dos amiguinhos do Léo, além de dicas de passeios pet friendly, porque até os animais merecem participar de momentos em família fora de casa.

A história da cachorrinha Vitória teve um começo difícil, mas felizmente o jogo virou e ela está cada dia melhor. Da mesma forma, a marca Vitória Pet continua crescendo, levando saúde, conforto, sabor e alegria a muitos outros pets no Brasil. Confira a entrevista!

De acordo com uma pesquisa divulgada recentemente, independente da crise causada pela pandemia, nós tivemos um grande aumento de consumo do mercado pet. Acredita que esse aumento possa estar correlacionado com os casos de ansiedade que passamos nesse período?

Sim exatamente, mesmo com a crise na pandemia, o mercado pet cresceu muito, as vendas de camas, acessórios teve um aumento considerável. A compra de animais também, talvez pelo fato de não puder sair de casa, pessoas que moram sozinhas, e também pelo fato de amenizar as crises de ansiedade. Solidão. Muitos animais também foram adotados, o lado negativo, foi que muitas pessoas que compraram e adotaram esses animais, foram  devolvê-los. Uma triste realidade.

Ao mesmo tempo em que eles trazem alegrias e benefícios, a criação de pets também requer muita responsabilidade. Lembrando o exemplo que tivemos no final da série “Game Of Thrones” quando a popularização do husky siberiano vez o índice de adoção de essa raça subir no mercado, e consequentemente abandono, quais são os principais cuidados que devem ser pensados ao trazer um pet para nossa casa?

Hoje em dia temos que ter muito cuidado, prudência e responsabilidade quando pensarmos em ter um animalzinho de estimação. Pois requer muitos cuidados, não é um brinquedo, é um serzinho que precisa de muito carinho, amor, atenção. Demanda gastos como alimentação, banho, Veterinário etc…  Sim é um membro da família, “um filho” Outras análises relevantes é o espaço que este animal vai viver, quanto tempo ficará sozinho por conta da correria do dia, principalmente para pessoas que moram em prédios, quantas vezes você vai passear com esse animal, pois muitos animais que só fazem as suas necessidades quando vai passear. Tirando o fato que se esse animal não tiver a atenção necessária, pode trazer outros problemas como estresse. Então avalie bem. Agora se  todos esses pré requisitos, são cabíveis no seu cotidiano, com certeza esse serzinho te trará muitas felicidades e histórias incríveis, que só quem tem sabe!

Léo Duarte (Foto: Lili Quaglia)

Atualmente, muito se debate sobre a questão do não comprar e sim adotar, principalmente por campanhas de ONGs e abrigos. Ao mesmo tempo em que se torna uma ação valiosa, muitos profissionais podem acabar saindo prejudicados, pois são criadores de raça, entre outros empreendimentos que geram economia. Qual a sua opinião a respeito do não compre, adote?

Em relação em adotar ou ter um animal de raça, ambos acredito que é válido, não apoio o comércio (máquina de produção) que entra na falta de bem estar animal, claramente.

Mas vejo pelo lado de quem quer e sonha em ter um animal de raça, ótimo. Acredito também que seria injusto exterminar uma raça, que vem de gerações por ganância do homem. As raças tem que existir, é história. Mas não apoio o comércio de produção em massa. Apoio à prática de bem estar animal, dentro dos padrões adotados. Caso esse seja seu sonho, pesquise o canil, visite o canil, veja como esses animais são tratados, veja a estrutura. Já vi muitos casos dê canis que não deveriam nem ter existido total fora dos padrões, esses sim tem que fechar.

Sobre a adoção (sou total apoiador da causa) admiração plena, por pessoas que lutam pelos animais, eu sou uma delas. Infelizmente o índice de abandono é enorme e muito sério!

Da mesma forma, se você for adotar um animal, visite o local, avalie, veja as práticas de bem estar, tente saber um pouco da história desse animal, como ele chegou lá, pergunte se ele apresentou algum tipo de trauma, se é bravo ou sociável. Pois também já vi muitos casos de o tutor adotar, e depois volta na ONG para devolver, esses animais tem traumas, sentimentos e não são objetos de devolução. Eles demandam muita atenção e carinho! Por outro lado, são extremamente carinhosos, e sabem reconhecer e demonstrar a gratidão pelo tutor. Quem tem um pet adotado, como eu, vai conhecer o amor verdadeiro. Adote, mas com muita prudência e coração aberto.

Esse aumento do mercado pet acabou chamando atenção da sociedade para adoção responsável e também no que se refere a proteção dos direitos dos animais. Apesar da ampla divulgação que tem sido feita no decorrer dos anos, acredita que ainda aja um considerável aumento em casos de abandono ou maus tratos?

Infelizmente o abandono e maus tratos, são recorrentes, porém a força que os animais estão ganhando, vem crescendo cada vez mais, maus tratos é crime e em minha opinião, inafiançável.

Léo Duarte (Foto: Lili Quaglia)

Léo, o seu caso, apesar de estarmos vendo cada vez mais atos de resgates pela internet, acabou se destacando principalmente pela história da adoção e da recuperação da Vitória. Como ocorreu essa situação de resgate e como veterinário, como orienta que as pessoas que presenciem essa situação possam agir?

A Vitória foi à virada de chave em minha vida, sempre quis adotar um pet, mas por outro lado sempre tive “certo medo” por falta de tempo, por não conhecer a história desse animal, não saber quais traumas ele trazia, infelizmente o medo e a insegurança sempre andam junto conosco, até o destino nos colocar a prova e nós por cara a cara. Um médico veterinário, passando no momento do atropelamento, todos os carros desviando deste animal que estava jogado e ferido no meio da pista, é muito triste. Infelizmente poucas pessoas parariam para prestar socorro. Ainda mais este animal estando vivo, que era claro. Parei o carro, parei a estrada toda e sim resgatei, mesmo correndo perigo de ser atropelado junto. Mas foi atitude, mais verdadeira é pura, que tive naquele momento, inclusive foi a melhor atitude que tive na vida. A Vitoria me devolveu muitas coisas que estavam perdidas dentro de mim. Deu-me um norte, o amor mais verdadeiro que pude ver.

A história de vocês dois acabou comovendo muitas pessoas no Brasil, tanto é que vocês passaram a serem símbolos desse movimento de resgate aos animais. Você chegou a ficar surpreso com a repercussão que o seu ato trouxe? Como está sendo lidar com o reconhecimento repentino?

Acredito muito nessa troca, quem planta amor, colhe amor. Eu tive um ato de amor e hoje os frutos estão sendo colhidos. Sou eternamente grato por tudo, agradeço todos os dias quando acordo. E fico muito feliz de incentivar muitas pessoas a adoção, mostrar o nosso dia, as nossas aventuras juntos e incentivar também que os lugares aceitem pet, hotel, bares, restaurantes, lojas etc… e vejo que vêm crescendo essa aceitabilidade. Esse é nosso objetivo. Onde tem pet tem alegria, principalmente no ambiente de trabalho, eles ajudam muito na socialização das pessoas, na concentração e no raciocínio. Adotem essas medidas, levem os pets para trabalhar com você.

Léo Duarte (Foto: Lili Quaglia)

Depois de todo esse episódio, você acabou iniciando um empreendimento de itens e alimentos saudáveis para pets. Como veio a ideia de realizar esse novo investimento?

Hoje nós temos uma marca (Vitória Pet) onde produzimos camas e acessórios para pet (cães e gatos) e uma marca de cosméticos dentro da Vitória Pet. Mas tenho atuação fora no ramo pet, como uma marca de café e chocolate (BW COFFEE). Porém, ambas as marcas, convertem uma parte para ajudar animais resgatados. Esse é nosso objetivo, ajudar os pets.

Acompanhe Léo Duarte no Instagram

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio