Marianna inova e apresenta experiência de impacto visual através de “A Culpa é Sua”

Single carrega resquícios dos estilos de pop e R&B e faz ligação direto com os últimos lançamentos da artista

Publicado em 06/07/2022 22:42
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Pop, R&B e um forte impacto visual inspirado no mundo da moda marcam o trabalho da cantora e compositora carioca Marianna. Seu novo lançamento é o empoderador “A Culpa é Sua”, que fala sobre perceber seu valor após o término de um relacionamento e tem uma mensagem forte para quem pode não estar se divertindo neste Dia dos Namorados. Esta faixa foi produzida por Vivian Kuczynski Music.

Mariana descobriu-se artista aos 6 anos, mas para se aproximar do seu sonho escolheu outros caminhos. Ele trabalha nos bastidores do entretenimento enquanto inicia o De Mudança, um canal que ajuda as pessoas a deixar suas casas, mudar para outro país e outras páginas. Além disso, ele é atualmente um especialista em mídia social. Agora, a própria Marianne embarcou em uma grande jornada.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“A Culpa é sua” é seu segundo lançamento e funciona bem com seu single de estreia “Deixa Ir”, sobre desistir de algo que ainda dói. Esses e os singles posteriores de Marianna são lançados nas plataformas via BAILA, e a distribuição é feita pela Ingrooves. Confira a entrevista!

Lançada recentemente, “A Culpa é Sua” é bastante caracterizada pelo impacto visual que busca inspiração no mundo da moda. Como aconteceu o nascimento desse projeto e o que ele vem significando para você?

O projeto é um conjunto de referências que venho acumulando desde criança, época em que entendi de fato que eu queria ser cantora. Sempre fui fã de música pop, nacional e internacional, e esses artistas trazem uma grandiosidade estética, uma beleza nos detalhes, que me fascina demais. Quando finalmente tive coragem de seguir em frente e lançar as músicas, entendi de forma bem natural que também quero contar histórias que toquem as pessoas a partir do audiovisual e da estética, unindo diferentes tipos de arte. O projeto vem significando tudo pra mim me sinto livre enquanto pessoa e ao mesmo tempo sei que as sessões de terapia estão dando certo hahahahha.

O enredo da música relata algo que muitas pessoas passam que é a questão da auto valorização após terminar um relacionamento e também aqueles que estão sozinhos no Dia dos Namorados principalmente. Como você observa esse sentimento hoje no mundo e porque a sua escolha em abordá-lo na música?

Uma das grandes revoluções que as redes sociais trouxeram pra minha vida foi o resgate de ser quem se é. Falamos sobre empoderamento, por exemplo, uma palavra que muita gente fala que está batida, mas que ajudou muitas meninas e mulheres a se amarem do jeito que são. O meu despertar pra essa auto valorização começou quando assumi meu cabelo natural, e depois foi se espalhando para outros campos até chegar na mulher que tem segurança o suficiente pra sair de um relacionamento sabendo que tem defeitos, mas que uma relação se constrói por todas as pessoas envolvidas nela. 

Marianna (Foto: Flora Negri)

Além de você, “A Culpa é Sua” também fez bastante sucesso pela produção musical de Vivian Kuczynski. Como foi trabalhar em parceria com ela durante esse período?

Vivian é uma gênia! Uma mulher, jovem, autodidata que produz com uma sensibilidade absurda e um conhecimento de milhares de livros juntos hahahaha nossa “nerd do som”. Eu amo estar em estúdio com ela porque sempre aprendo muito. Além disso, criamos uma dinâmica ótima pra trabalhar juntas então são dias sempre muito divertidos com resultados que nos deixa felizes, me faz lembrar sempre porque decidi fazer música. 

A respeito dos acontecimentos que se passam no enredo da sua música, as experiências que “A Culpa é Sua” traz, você dedica elas especialmente a quem em questão de identificação do público?

Escrevi para um relacionamento específico que levei por alguns anos com a pessoa me mantendo por perto, dizendo que gostava de mim, mas por outro lado não assumia algo mais sério, não me apresentava para os amigos, nada do tipo. E curiosamente sentia minha falta quando eu começava a desapegar. E eu sempre voltava! Quem nunca? Mas nada como um sacode dos amigos ahhahahaha quando escrevi essa letra era pra ser uma mensagem de whatsapp, mas agora tá nas plataformas de streaming de música.

Marianna (Foto: Flora Negri)

Para os que ainda não estão familiarizados com sua trajetória, como aconteceram os seus primeiros encontros com a música e a partir de qual momento que ela começou a ganhar um espaço mais profissional em sua vida?

Meus primeiros encontros aconteceram nos bastidores. Não tive a oportunidade de investir na arte quando criança e adolescente, então encontrei no jornalismo e no entretenimento uma forma de entender como o mercado da música funcionava. Quando decidi gravar as músicas foi porque o sonho já estava muito maior que eu, e seguir uma vida sem investir nisso não estava fazendo sentido. Dar esse passo foi a melhor decisão que tomei nos últimos anos.

Além de sua carreira como cantora, você também ganhou bastante experiência nos bastidores, até que deu início ao canal “De Mudança” no YouTube, onde auxilia os espectadores a saírem de casa, mudarem de país, entre outras ocasiões. Como se deu o início desse projeto e como ele corre em paralelo a sua carreira na música?

O De Mudança veio da realização do sonho de sair de casa e da consequente frustração que isso trouxe em alguns aspectos. Eu achei que minha casa ia estar toda decorada em um mês, que meus amigos iam viver lá, mas frequente mesmo foi o pó do chão. Decidi compartilhar essas histórias com as pessoas e passar uma visao menos romantizada sobre a saída de casa. Mas falar de casa é falar de tudo. É nosso templo, lugar onde nos sentimos livres e acolhidos, e percebi que as mudanças eram bem mais profundas do que a de casa em si. Agora dei uma pausa no canal pra me dedicar à música, mas sempre que posso trago os dois universos para dentro das minhas redes sociais. 

Marianna (Foto: Flora Negri)

Apesar de ser diferente em alguns aspectos, “A Culpa é Sua” consegue estabelecer conexões com o seu primeiro single “Deixa Ir”. Quais foram as principais semelhanças que os uniram e como enxerga essa questão de o seu trabalho ser conectado dessa maneira?

As principais semelhanças moram no fato de eu estar me descobrindo uma pessoa diferente durante e depois de relacionamentos que marcaram minha vida. Sinto que estou explorando vários lados diferentes meus, e transformar isso em música tem sido um processo fundamental. Além disso, gosto de escrever sobre relacionamentos amorosos, amo ouvir histórias de outras pessoas. Alguns chamariam de fofoqueira, eu chamo de observadora hahahahaha Acho que a conexão vem de forma orgânica. No momento faz muito sentido escrever sobre amor, eu gosto, as pessoas gostam, então quero continuar até não querer mais. 

O que podemos esperar da Marianna em breve e quais são as projeções que tem para sua carreira?

Podem esperar mais músicas para lavar a alma, criações audiovisuais provocativas e muito conceito! Estudo e trabalho para ser uma artista que traduz o tempo em que vive, que tem a chance ver as pessoas se transformarem a partir da música. Quero sempre colocar a energia da liberdade pra fora e meu maior desejo é ter muitas, milhares de pessoas cantando essa liberdade comigo. 

Acompanhe Marianna no Instagram

Quer acompanhar mais as novidades da coluna? Siga Luca Moreira no Instagram e no Twitter!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio