Exposed capivaresco

“Capivara” de Luisa Mell chama mais a atenção que a capivara de Agenor Tupinambá

Ex apresentadora perde fundação, tem seu nome envolvido à acidente no passado e nega ter envolvimento no caso da capivara Filó que parou o Brasil

Publicado em 30/04/2023 19:09
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Eu sempre digo que quem não tem talento não se estabelece e necessita vampirizar pessoas e fatos para se manter em evidência. Isso acontece aos montes nos bastidores da TV no mundo todo, e no Brasil não seria diferente.

Há quase uma semana o assunto envolvendo a capivara Filó e seu cuidador, o influencer Agenor Tupinambá se transformou no assunto mais comentado no país.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vamos aos personagens dessa história, primeiro Luisa Mell, ativista e ex-apresentadora de TV, que nem todos conhecem, mas vamos informar:

Luisa Mell, é formada em direito, começou a carreira fazendo “pontas” em um sitcom do Domingo Legal no final dos anos 90. Trabalhou com Monique Evans no “Noite afora” , chegou a apresentar um programa dirigido a música preta brasileira, chegou a apresentar o “TV Fama” e de olho no crescente mercado pet apresentou o programa “Late Show” que trazia novidades do mundo pet e fazia matérias que envolviam resgate de bichos.

Dona de uma talento limitado e questionável recebeu comentários negativos do apresentador Clodovl Hernandez que disse que a moça terminaria seus dias fazendo filmes pornôs e detalhe: ambos trabalhavam na mesma emissora em que Luisa namorava um dos sócios. Procurando holofotes, chegou a ser destaque na escola de samba “Imperador do Ipiranga”.

Após o fim de seu relacionamento com um dos sócios da emissora, coincidentemente seu programa foi tirado do ar e a apresentadora foi demitida por telefone, passou pela TV Gazeta e Band e se tornou ativista pelos direitos dos animais, onde fez trabalhos interessantes regados à muitas lágrimas e holofotes e chegou a tentar recentemente a resgatar um gato abandonado, onde o gato em questão era um “gato de luz” (ligação de luz clandestina em uma residência) e se transformou, mais uma vez, em piada.

Agenor e a capivara

Agenor Tupinambá é um influencer da região amazônica, com mais de 2 milhões de seguidores, rapaz de vida simples que alegrava a vida de seus seguidores portando fotos e vídeos com sua capivara, a Filó, que ele resgatou quando tinha apenas 3 meses de idade, quando a mãe do animal foi abatida.

Agenor e Filó tem um relacionamento muito interessante e se dão muito bem, mas como diz a música de Rita Lee: “alegria alheia incomoda”, o influencer foi denunciado ao IBAMA e multado inicialmente em R$ 17 mil e sua “Filó” foi levada e colocada em

Acusada de ser responsável por todo esse imbróglio, Luisa Mell usou as redes sociais para desmentir o mal entendido: “Eu fiquei sabendo do caso como todos vocês, pela imprensa, depois que já estava a maior confusão! As pessoas agora inventam que fui eu que denunciei, olha que loucura que virou essa internet, todo mundo falando isso como se fosse uma verdade! Não é verdade isso”, disse a ativista que também declarou ser vítima da situação.

A mudança de nome do Instituto

O Instituto Luisa Mell, focado no resgate e na recuperação de animais em situação de risco, surpreendeu o mercado ao comunicar que estava rebatizando o nome para “Instituto Caramelo”, alegando que a ativista mão auxiliou o orgão financeiramente e que a decisão foi tomada com o objetivo de separar posturas e interesses individuais do propósito do grupo.

O nome do instituto e a comunicação visual foram alterados nas rede socais.

Diz o comunicado: “

“Essa mudança vem para despersonificar o trabalho e separar posturas e interesses individuais do propósito do grupo. Ela foi fruto de muita conversa, entendimento e planejamento. E toda nossa equipe se mantém, os animais seguem no abrigo e o nosso espaço, que foi cedido e construído com recursos particulares de uma das fundadoras, permanece o mesmo”. O Instituto Caramelo ainda respondeu um comentário de internauta que se mostrou surpresa com a mudança. “Ao contrário do que muitos pensam, Luísa nunca doou dinheiro algum para o Instituto. Nenhuma doação sequer. Foi dinheiro das outras pessoas do grupo e de doações que fizeram as coisas funcionarem ao longo desses anos. Vocês podem comprovar isso facilmente solicitado a ela que mostre qualquer depósito dela para o instituto”, escreveu. 

Luisa usou suas redes sociais e às lágrimas, mais uma vez disse que doou sua imagem, seu tempo e sua saúde mental.

Para continuar esse momento “exposed”, um outro fato, talvez esquecido, surgiu na mídia novamente, envolvendo um acidade com vítimas.

Acidente

O jornalista Felipeh Campos, que a chamou de “Luisa Fel” postou em suas redes sociais um depoimento lembrando que há exatos 15 anos, a ex apresentadora de TV se envolveu em um acidente de trânsito que deixou uma vítima tetraplégica e sugeriu que fosse feita uma “vakinha” para indenizar a vítima.

A boa notícia

Provando que o bem sempre vence e depois de muita pressão popular, nesse Domingo foi determinado que a capivara Filó, voltasse aos cuidados do influencer Agenor Tupinambá e milhões de pessoas comemoraram a atitude. Final feliz para uma história de amor bonito em um mundo tão violento e cheio de interesses.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio