Velejador Renato Alves dá dicas para quem quer se aventurar em navegações noturnas

O profissional cita os principais cuidados para quem quer manter a segurança e garantir a diversão de um dos passeios favoritos das celebridades

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É comum encontrar pessoas que preferem passeios de vela, barcos e outros transportes marítimos. Afinal, a imensidão e beleza dos sete mares desperta a curiosidade e traz sensação de liberdade que só quem desfruta desses passeios pode descrever. Mas, ao mesmo tempo em que o passeio é divertido ele merece atenção redobrada para ser seguro em todo o seu trajeto.

O velejador profissional Renato Alves diz que os passeios, principalmente os noturnos, requerem atenção superior àquela que dedicaríamos à mesma tarefa se fosse executada à luz do dia. “À noite tudo muda, tudo é mais difícil e nossos medos nos fazem reagir de modo diverso daquele que normalmente reagiríamos. É preciso estar preparado e começar fazendo pequenos trajetos de navegação noturna, escolhendo noites de lua cheia”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Alves selecionou as principais dicas para quem quer realizar um trajeto seguro durante a noite. Confira:

– Se a visão é falha, aguce os outros sentidos. Aprenda a ouvir seu barco, sentir o vento e as ondas.

– Revise as luzes de navegação e se possível instale uma luz vermelha na cabine. A luz não ofusca o timoneiro e permite que os tripulantes dentro da cabine enxerguem o necessário. Luzes brancas e fortes na cabine vão ofuscar a visão do timoneiro, cegando-o totalmente.

– Não esqueça de verificar se os instrumentos estão funcionando corretamente, inclusive com sua luz de tela para noite.

– Não deixe de verificar também a luz da bússola, sem a qual ficará muito difícil manter o rumo. Nunca use lanternas ou luzes fluorescentes para iluminar a bússola. Esses equipamentos geram campos de força que interferem na agulha da bússola e a fazem indicar um norte errado. Se a bússola não tem luz própria, o melhor é acender uma vela, um lampião ou até um isqueiro.

– Se o barco conta com GPS, chart ploter, ou radar, faça uso desses equipamentos e confie nos dados obtidos. Muitos erros ocorrem por desconfiança do navegador nos dados informados pelos equipamentos. Revise os equipamentos antes de sair e, depois, confie neles.

Além dos cuidados com a segurança, Alves afirma que outros problemas da navegação noturna podem surgir.  É o caso de sono e o cansaço extremo. Para evitar a situação, o velejador afirma que o ideal é evitar navegar por muitas horas seguidas. “Os reflexos ficam muito reduzidos numa pessoa com sono ou muito cansada. Para evitar esses problemas, o ideal é organizar turnos com a tripulação, instruindo com clareza cada um dos tripulantes que ficará responsável pela embarcação no seu turno.” Finaliza.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio