Kanye West diz que impediu vazamento de sex tape inédita de Kim

Empresária teria ficado "muito emocionada" com a ação do rapper

Publicado em 25/01/2022 16:28
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Kanye West afirmou que impediu que uma segunda fita de sexo de Kim Kardashian e Ray J vazasse. Em recente entrevista, o rapper alegou que, apesar de seu divórcio, ele supostamente fez o favor e recuperou a fita.

“Eu mesmo peguei o laptop de Ray J naquela noite”, disse West durante entrevista ao Hollywood Unlocked. “Encontrei esse homem no aeroporto, peguei um voo noturno, voltei [e] entreguei a ela às 8h da manhã.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

West afirmou ainda que a ex ficou tão aliviada ao ver o laptop que caiu em prantos. “Ela chorou quando viu. Você sabe por que ela chorou quando viu no laptop? Porque representa o quanto ela foi usada”, disse o rapper. “Isso representa o quanto as pessoas não a amavam e apenas a viam como uma mercadoria.”

Um representante de Kardashian confirmou ao site Page Six que havia um laptop, mas negou qualquer existência de conteúdo explícito.

“O computador e o disco rígido coletados deveriam conter o vídeo original e qualquer filmagem não vista. Após a revisão, não havia nada sexual inédito, apenas filmagens no avião a caminho do México e filmagens em um clube e restaurante na mesma viagem”, dizia o comunicado.

“Kim continua firme em sua crença de que não existe uma segunda fita. Depois de 20 anos, ela realmente deseja seguir em frente neste capítulo [e] focar nas coisas positivas que ela continua a fazer como mãe, empreendedora e defensora da reforma da justiça”.

Além disso, uma fonte disse ao veículo que Kardashian ficou “muito emocionada” quando seu ex-marido voltou com o computador e o disco rígido.

“Kim foi e ainda é verdadeiramente grato a Kanye por recuperá-lo”, disse o informante. “A fita lhe causou muita dor e continua a assombrá-la até hoje. Mesmo que eles não estejam mais juntos como um casal, eles continuam alinhados com as mesmas preocupações sobre como esse conteúdo que continua sendo usado contra ela afetará seus quatro filhos no futuro.”

Kardashian, atualmente com 41 anos, ganhou fama depois que a sex tape dela e do então namorado Ray J vazou em 2007. Pouco depois, ela e sua família lançaram “Keeping Up With the Kardashians”.

Documentário sobre Kanye West estreia em festival sem sua aprovação

Recentemente, Kanye West veio a público pedir que ‘jeen-yuhs’, o documentário de três partes sobre sua carreira, tivesse sua aprovação final para ser lançado. No entanto, essa não é a primeira vez que ele busca ter controle sobre a narrativa do documentário.

O cineasta Coodie Simmons inclusive trouxe a tona conversas com o rapper sobre o projeto, durante a fase inicial. “Quando chegou a hora de fazê-lo, tive que avisá-lo para tornar este filme autêntico, ele teve que recuar”, diz Simmons em entrevista ao The Hollywood Reporter, que co-dirigiu o documentário junto a Chike Ozah. “Eu tive que assumir o controle dessa narrativa que Deus criou – nós não criamos isso. E ele disse que confiava que eu faria um bom trabalho.”

Jeen-yuhs (pronuncia-se “genius”) é descrito como uma “trilogia Kanye”, mesmo que o rapper tenha mudado seu nome para “Ye” no ano passado. A estreia do filme será no Sundance Film Festival neste final de semana, antes de chegar à Netflix em 16 de fevereiro.

A trilogia mostra a ascensão de Kanye no cenário musical: de um jovem produtor e aspirante a rapper a vencedor do Grammy e superstar global. Os filmes também trazem mostram a morte da amada mãe do rapper, Donda, em 2007, além das dificuldades de saúde mental do rapper e sua própria candidatura presidencial fracassada em 2020.

THR conversou com Simmons e Ozah, um dia antes do Ye se manifestar através do Instagram: “Preciso obter a edição final e a aprovação deste documento antes de ser lançado na Netflix [.] Abra a sala de edição imediatamente para que eu possa cuidar da minha própria imagem.”

Segundo Simmons, o rapper ainda não havia visto o documentário, mas sua equipe sim. “Saí para mostrar a ele uma vez durante seu aniversário, mas ele teve que ir para a França”, conta.

O cineasta que conheceu Kanye West no final dos anos 90, planejava transformar a trajetória do artista em um documentário. Simmons e Ozah já trabalharam com West no início, com a direção de videoclipes dos álbuns “Through the Wire” e “Jesus Walks”. Quando ganhou o Grammy em 2005, Simmons enxergou o momento como ponto de parada perfeito para o projeto, ao poder mostrar o rapper iniciante chegando ao sucesso.

Parecia que, naquele momento, poderia ter acabado”, diz. “Kanye não estava pronto e, é claro, se tivéssemos lançado isso, não teria o mesmo impacto”.

No entanto eles se reconectaram, fazendo uma cobertura completa. “Não podemos contornar nada do que acontece na vida. As coisas acontecem, e nós estávamos filmando. Temos que ser autênticos com o que aconteceu.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio