Pantanal: Conheça Cavalo Preto, a música preferida de Zé Leônico

Canção é um clássico do sertanejo raiz e foi gravada pela primeira vez há 76 anos; De Sérgio Reis a Tonico e Tinoco, confira algumas versões

Publicado em 18/05/2022 13:39
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para quem está acompanhando o remake de Pantanal na TV Globo, a cena que irei descrever a seguir é bastante comum: Os peões da fazenda de Zé Leôncio (Marcos Palmeira) organizam uma moda de viola, todos em volta da fogueira, até que o patrão faz um pedido, prontamente atendido pelos violeiros Tibério (Guito) e, recentemente, Trindade (Gabriel Sater): “toca Cavalo Preto!”.

A música é um verdadeiro ícone das modas sertanejas e foi popularizada pela voz e pelas violas de diversos artistas. Ao todo, é possível encontrar 11 versões da música. Podemos dizer que as mais famosas são as de Tonico e Tinoco, gravada nos anos 70, e Sérgio Reis, que participou da primeira versão de Pantanal, interpretando Tibério, em 1990, mesmo ano em que lançou o disco Pantaneiro, que conta com sua versão do clássico.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mas para falarmos da primeira versão de Cavalo Preto, precisamos voltar mais no tempo. Precisamente, teríamos que fazer uma viagem ao ano da graça de 1946, quando a dupla Palmeira e Luizinho gravou, para um vinil de 78 rotações por minuto, a composição de Anacleto Rosas Jr, renomado letrista do sertanejo raiz.

Anacleto, o dono dos versos, foi um compositor de mão cheia. Nascido em Mogi das Cruzes em 1911, começou a compor nos anos 40, época em que deu vida ao sucesso que ecoa até hoje pelas violas em todo o país. Segundo o site Recanto Caipira, estima-se que Anacleto tenha, além de Cavalo Preto, outras 153 composições, com direito a trabalhos em colaboração com outros artistas, como a própria dupla Palmeira e Luizinho, além de Tonico e Tinoco.

Ainda entre os artistas mais famosos que regravaram a obra, podemos citar o Duo Ciriema, dupla sertaneja formada por Aparecida Martins Batista e Irene Campos Mendonça, que depois deu lugar a Irene Lopes. O Ciriema lançou a canção em um LP de 12 músicas chamado Minha Terra (1977).

76 anos depois da primeira gravação da obra icônica do sertanejo brasileiro, temos a última, ou melhor dizendo, a mais recente versão de Cavalo Preto, gravada por Chico Teixeira, filho do cantor e ator Renato Teixeira. A curiosidade é que ambos participaram do remake de Pantanal. Chico viveu Quim, um dos fiéis escudeiros do jovem Zé Leôncio e do velho Joventino (Irandhir Santos), enquanto seu pai interpretou brevemente o mesmo peão, só que mais velho.

“Pensamos nessa música, pois, além de fazer parte do meu mundo, também faz parte do mundo do meu personagem, o Quim. Na regravação, busquei trazer uma sonoridade mais atual, porém mantendo o sertanejo Lo-Fi, como gosto de me referir ao estilo que mais se encaixa com o meu”, disse Chico, na época do lançamento, ao Acesso Cultural.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio