Entenda a treta entre Marcelo Adnet e Mário Frias que virou caso de justiça

Atual secretário especial da Cultura disparou ataques ofensivos ao humorista

Publicado em 20/10/2021 15:53
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um treta entre Marcelo Adnet e Mário Frias acabou virando caso de Justiça e repercutindo na mídia nas últimas semanas. Tudo começou após o atual secretário especial da Cultura do governo Jair Bolsonaro (sem partido), disparar ataques ofensivos ao humorista, que criou uma paródia do vídeo “Um Povo Heroico”, uma campanha do Governo Federal, estrelada por Frias, em setembro do ano passado.

Na ocasião, o político não gostou nada das piadas feitas por Adnet no vídeo e postou um print da paródia, chamando o humorista de “garoto frouxo e sem futuro” e outros termos considerados ofensivos. Relembre:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Agindo como se fosse um ser do bem, quando na verdade não passa de uma criatura imunda, cujo o adjetivo que devidamente o qualifica não é outro senão o de crápula. Um Judas que não respeitou nem a própria esposa traindo a pobre coitada em público por pura vaidade e falta de caráter.”, iniciou Mario.

“Um palhaço decadente que se vende por qualquer tostão, trocando uma amizade verdadeira, um amor ou sua história por um saquinho de dinheiro e uma bajulada no seu ego infantil e incapaz de encarar a vida e suas responsabilidades morais”, acrescentou.

Confira a paródia feita por Marcelo Adnet:

Defesa de Marcelo Adnet

Após os ataques, Marcelo Adnet entrou na Justiça contra Mario Frias por danos morais e pediu R$ 80 mil de indenização devido as ofensas. Segundo os advogados do artista, Frias “explodiu em fúria, com ameaça, injúria e difamação depois de tomar ciência de uma singela e inofensiva paródia feita pelo autor, em que ele imita o discurso feito pelo demandado, num vídeo oficial da Secretaria Especial de Comunicação do Governo Federal”, informou ao UOL.

“Não existe discurso de ódio ou intolerância que justifique a reação do secretário especial de Cultura do Governo Federal”, acrescentou. Na ação, os advogados de Adnet ainda exigem a retirada da postagem ofensiva do perfil de Mario Frias no Instagram, sob multa diária de R$ 10 mil.

Justiça aceita queixa-crime de Adnet

Em decisão judicial realizada em setembro, a juíza Alessandra de Araújo Bilac aceitou a queixa-crime apresentada por Adnet contra Mário Frias. De acordo com o jornalista Felipe Pinheiro, do Splash UOL, não houve uma conciliação entre o humorista e o secretário especial da Cultura.

Procurada pelo site, a advogada criminal Maíra Fernandes, que representa Adnet, declarou: “Marcelo Adnet é uma entre milhares de pessoas que sofrem com as ofensas proferidas no ambiente da internet”.

“A cada vitória nossa nesse processo, creio que prestamos um serviço à coletividade, porque deixamos mais claro que a Internet não é uma terra sem lei. A liberdade de expressão não pode ser o oposto de responsabilidade. O Secretário da Cultura ofendeu a honra do humorista, o difamou, injuriou, e merece ser responsabilizado criminalmente por isso.”, afirmou ela.

Procurado, Mário Frias não se pronunciou sobre o caso até o momento.

VEJA MAIS: Mário Frias esclarece fala polêmica após acusação de racismo

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio