Francesco Petrizzo (Foto: Divulgação)

Bem sucedido, o paulistano afirma que receita para alcançar o topo é trabalhar em busca do impossível, já que lá a concorrência é menor. Petrizzo tem como clientes grandes celebridades como Bon Jovi, Alice Cooper e Guns and Roses. 

Empreender sempre foi algo muito natural na vida do empresário Francesco Petrizzo. Com negócios na área de segurança, facilities, esportes e varejo, sua carreira chama a atenção pelo sucesso e pela credibilidade conquistou. Segundo ele, a receita para chegar ao topo é alcançar o que para todos parece impossível. “Sou muito competitivo e sempre achei que o impossível tinha menos concorrência”.

Foi com esse pensamento que o paulistano de 56 anos construiu seu patrimônio. Aos 14 anos iniciou sua carreira profissional trabalhando na casa lotérica do pai. Quatro anos depois, com o aprendizado que obteve, abriu sua própria lotérica.


Petrizzo, que luta lutou judô desde os 6 anos de idade e disputou diversos torneios, sendo campeão paulista, sexto colocado no Campeonato Mundial Master e campeão panamericano de judô Master no Canadá, utilizou a disciplina do esporte e o espírito competitivo para ir além dos concorrentes em seus negócios.  

“Vendi minha lotérica algum tempo depois e montei uma empresa de segurança, a Self Protection, que atendia bingos, quando eles ainda estavam liberados para funcionar. Também trabalhamos com segurança de eventos e artistas.A empresa cresceu muito nesse período”, destacou Petrizzo. Segundo ele, entre os clientes que já foram atendidos pela empresa estão a banda Guns N’ Roses e os cantores Bon Jovi e Alice Cooper durante suas apresentações pelo Brasil em 2017.

Ainda assim, o empresário continuou atento às necessidades do mercado e anos depois ingressou no mercado da segurança patrimonial, com vigilantes armados e desarmados. “Em seguida surgiu outra demanda crescente que eram os condomínios que precisavam de porteiros, controladores de acesso, os auxiliares de limpeza, jardineiros, todos os facilities e nós passamos a atender esse setor também”, explicou. No momento, a empresa conta com mais de 300 colaboradores.

Paralelamente, Petrizzo resolveu investir ainda mais em sua paixão pelo judô, criando em 2009 a academia Power Life, também em São Paulo. Dois anos depois, sem medo de novos desafios, ingressou no setor de varejo ao inaugurar o Shopping Vila Maria.

“Eu e minha família sempre trabalhamos muito para chegar onde chegamos. Meu irmão mais velho e meu pai já faleceram. Em 2019 meu irmão mais novo foi diagnosticado com uma leucemia grave e todos nós perdemos o chão”, contou o paulistano. 

A má notícia, apesar de preocupante, só fez com que todos lutassem com ainda mais garra para alcançar o impossível. “Minha filha e minha sobrinha que são médicas, fizeram tudo pela cura dele. Em março eu fiz a doação de medula para o meu irmão, que está se recuperando muito bem”.

Novos desafios

Mesmo com tantos negócios de sucesso em sua carreira, Petrizzo quer ir além. Em função da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o empresário tem ingressado por um novo mercado, o das lives beneficentes pela internet. “Esse é um novo projeto que tem sido muito bem recebido. Já fizemos o leilão de quadros e a renda foi revertida para entidades sociais e agora também estou montando um estúdio profissional para permitir que pequenos artistas façam suas lives e possam passar por esse momento de crise com alguma ajuda”, finalizou.

Francesco Petrizzo (Foto: Divulgação)