Ingrid Guimarães culpa negacionismo por morte de Paulo Gustavo

Atriz desabafou sobre a falta de providências diante da pandemia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ingrid Guimarães, amiga de Paulo Gustavo, que faleceu vítima da covid-19, utilizou um trecho da entrevista de Dona Déa, mãe do ator, no Fantástico, para fazer um desabafo.

A atriz citou a falta de gerência do governo em relação a ciência e culpou o negacionismo pela morte do ator de 42 anos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

LEIA MAIS: Musa do Corinthians mostra bumbum avantajado em fio dental e ‘enlouquece’ os fãs

+ Musa do Palmeiras usa look ousado e mostra sensualidade: “Perfeita”

Paulo Gustavo já era pra estar vacinado. Há 9 meses quando 70 milhões de vacinas foram rejeitadas. Quando a ciência foi descredibilizada. Quando a doença foi minimizada. Muitas mortes teriam sido evitadas”, escreveu Ingrid, no Instagram.

A crítica de Guimarães é sobre o governo federal ter rejeitado 11 milhões de doses da vacina no ano passado. “Paulo Gustavo deu uma cara pra morte, mas ela já estava aí nos hospitais públicos sem direito a Ecmo, nem tratamento especial. Ele catalisou a dor coletiva, porque o humor tem esse poder”, disse a atriz.

CONFIRA: Ingrid Guimarães fala de Paulo Gustavo e se emociona: “Uma tristeza”

Ingrid também disse que Paulo não tinha comorbidades: “Nem aglomerou, era bem cuidadoso. Sim, parte da graça do Brasil se foi, pelo negacionismo de um país que tem talento pra alegria. Ou tinha. Não pode ser em vão. Não pode”.

“Por ele e pelas mais de 420 mil mortes. Paulo Gustavo é mais político que a própria política. Se cuidem”, declarou a famosa.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio