Irmã de Britney Spears diz que família a pressionou para realizar aborto do filho

Atriz fala sobre o assunto em seu novo livro, segundo o TMZ

Publicado em 22/10/2021 12:16
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Jamie Lynn Spears, irmã de Britney Spears, revelou em seu livro, “Things I Should Have Said”, que será lançado em breve, que seus pais a pressionaram para que ela realizasse um aborto. Segundo informações publicadas pelo site norte-americano TMZ, a famosa tinha 16 anos de idade quando engravidou.

Lynn ficou grávida em 2007, mas não seguiu as recomendações dos pais. Ela deu à luz Maddie Briann, que hoje está com 13 anos de idade. Jamie fala sobre o assunto em uma parte de seu livro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

LEIA MAIS: Alec Baldwin surge transtornado após matar diretora e apaga foto ensanguentado

“(…) Vieram ao meu quarto tentando me convencer de que ter um bebê neste momento da minha vida era uma ideia terrível … ‘Isso vai matar sua carreira. Você é muito jovem. Você não sabe o que está fazendo. Existem pílulas que você pode tomar. Podemos ajudá-la a cuidar desse problema. Eu conheço um médico’. Todos ao meu redor só queriam fazer com que esse problema desaparecesse. Todos estavam certos de que o aborto seria o melhor caminho”, diz o trecho.

Ainda, segundo informações, Jamie, que teve uma relação conturbada com o pai, não conseguiu contar sobre o aborto para a irmã, Britney, pois teve seu telefone confiscado. “Eu precisava dela mais do que nunca e ela não foi capaz de me ajudar no meu momento mais vulnerável… Até hoje, sinto a dor de não poder ter contado à minha irmã”, revelou a famosa.

CONFIRA: Luísa Sonza abre o jogo sobre sexualidade e reflete a vida de solteira

Em quais países o aborto é legalizado?

Alguns países do mundo permitem o aborto. Na América do Sul, além da Argentina, com a lei aprovada há algum tempo, o Uruguai, Guiana e Guiana Francesa permitem a interrupção voluntária da gravidez.

Segundo dados da ONG Center of Reproductive Rights (CRR), 67 países do mundo permitem que a geração de um filho seja interrompida. China, África do Sul, Venezuela, Coreia do Norte, Itália, Portugal, Rússia e França são alguns deles.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio