Lana Rhoades recorda traumas da época em que foi atriz pornô

Lana Rhoades relatou os problemas enfrentados por trabalhar na indústria pornográfica

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lana Rhoades, ex-atriz pornô, de 24 anos, revelou durante o podcast “3 Girls 1 Kitchen” alguns traumas e problemas que enfrentou na época em que atuava em filmes adultos. Ela conta que sua passagem pela indústria pornográfica, apesar de ter durado apenas oito meses, deixou muitas “cicatrizes psicológicas”.

“Não vou dizer que todas as cenas que eu fiz foram horríveis. Mas há algumas que me causaram um dano emocional muito grande. Tem de três a cinco tomadas que foram traumáticas para mim como ir para um set com alguém muito mais velho ou fazer coisas muito extremas. Posso dizer com 100% de certeza que isso me fez largar o pornô”, declarou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo Lana, a decisão de ser atriz pornô surgiu de um sonho de criança, quando ela tinha apenas 12 anos. “Eu queria escapar da situação que eu tinha em casa [quando era mais jovem]. Eu me trancava no closet e assistia Girls Next Door of Playboy (reality sobre as namoradas de Hugh Hefner, fundador da Playboy) pensando em fazer 18 anos para poder viver aquilo”, disse. 

“O perigo de glamorizar a indústria do sexo é que jovens garotas como eu só vão ver os lados positivos da coisa, e não os negativos”, completou. Antes de atuar em filmes adultos, Lana foi garçonete e stripper. Ela conta que na época, era muito ingênua, ao ponto de “não saber que teria que fazer sexo”.

“Isso vai fazer parecer que eu era muito ingênua, mas é verdade… quando entrei no avião [com os agentes] para ir à Los Angeles fazer pornô pela primeira vez, eu não tinha ideia de que eu teria que fazer sexo. Não tinha processado a coisa, eu simplesmente não pensei no que eu precisaria fazer para me transformar em uma estrela do pornô”, revelou.

A famosa disse também, que quando soube que teria que fazer cenas de sexo, pretendia contracenar apenas com mulheres, mas foi coagida pelos agentes.  

“Eles [os agentes] glamourizam o negócio de ‘mais por menos’, porque isso rende mais grana para eles. Eles não dão a mínima para as garotas, querem apenas agradar produtores e suas agências. São homens de 40 a 60 anos que estão na indústria há 20 ou até 30 anos. Eles sabem como convencer garotas de 18 anos a fazer as coisas”, desabafou.

Hoje, apesar de ter largado a carreira no pornô, ela compreende que não pode esconder este passado de sua vida. “Não posso me esconder disso. Onde quer que eu vá, muita gente já vai tem me visto na pornografia, o que me resta é fazer o melhor que dá disso tudo. Sinto que tenho uma sentença sobre minha cabeça aos 24 anos.”, lamentou.

Eu sempre vou ser uma estrela do pornô, independente de querer isso ou não, não importa. Eu lido com a depressão e pensamentos suicidas todos os meses por conta do meu passado no pornô. Estou apenas sendo sincera, não é uma grande coisa carregar esse título”, revelou a influenciadora que espera poder ajudar outras pessoas com seus relatos.

“Eu espero que a minha experiência e meu sofrimento possa ajudar outras pessoas seja ajudando a tomarem decisões melhores do que as que eu tomei, ou influenciando quem já está dentro da coisa toda a deixar o pornô”, finalizou.

VEJA MAIS: Lana Rhoades, ex-atriz pornô, fica só de calcinha na piscina e fã dispara: “Crie um OnlyFans”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio