Meghan Markle: pai da duquesa defende suposto racismo da família real

Thomas Markle demostrou 'admiração' pela realeza e disse que não acredita que haja racismo por parte dos ingleses

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Thomaz Markle, pai de Meghan, atriz e duquesa de Sussex, que foi entrevistada por Oprah, disse que não acredita que a família real seja racista. Thomaz, que não fala com a filha desde 2018, abriu o jogo e demostrou ‘respeito’ pela realeza.

“Tenho grande respeito pela realeza. Não acho que a Família Real britânica seja racista. Não acho que os britânicos sejam racistas”, disse Thomas. “Acho que Los Angeles é racista, a Califórnia é racista, mas não acho que os britânicos sejam. A questão de qual será a cor do bebê ou quão escuro será o bebê, estou supondo e esperando que seja apenas uma pergunta idiota de alguém. Pode ser simples assim. Pode ser alguém que fez uma pergunta estúpida, em vez de ser um racista total”, completou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

LEIA MAIS: Aos 63 anos, Solange Couto surge com biquíni fio dental e impressiona com corpaço

+ Isis Valverde mostra beleza em look ‘recortado’ e fãs ficam impressionados

Na entrevista de Meghan, a famosa disse que a cor da pele de seu filho, Archie, foi comentada pela nobreza, que teria a preocupação se o menino nasceria com a pele “escura demais”. A duquesa e Harry moram desde 2018 nos Estados Unidos, e um dos motivos dessa mudança teria sido o racismo no Reino Unido.

Em entrevista para Oprah, Meghan disse que pensou em suicídio em meio aos ‘problemas’ com a família real. A atriz teria sido ‘desprestigiada’ pela realeza. Harry também disse estar desapontado com o pai, o príncipe Charles.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio