Ricardo Ramos (Foto: Divulgação)

Vivendo uma pandemia há mais de três meses, o Brasil acumula números tristes. Ao todo, são mais de 65 mil mortes e 1,5 milhão de infectados. O coronavírus, porém, não afeta somente o ramo da saúde. Pelas medidas de isolamento social, o impacto na economia também é enorme. 

Nesta nova realidade, porém, alguns setores vão na contramão da crise. É o caso do e-commerce. Com a necessidade de ficar em casa, os consumidores gastam mais na internet durante a quarentena, como explica Ricardo Ramos, proprietário do site inimaginavel.com.

“Nosso site vem tendo resultados extraordinários na pandemia. Acredito que esse período serviu para consolidar ainda mais as vendas online, que são bem mais difundidas no resto do mundo e ainda tinham certo preconceito de boa parte dos brasileiros”, pontua o empresário. 


Apesar do crescimento causada pela pandemia, Ricardo acredita que a mudança tenha longa duração. Economista há mais de 20 anos, pós-graduado em marketing e reconhecido internacionalmente pela formação de novos líderes no marketing multinível, o profissional aconselhou empreendedores a apostar cada vez mais nos e-commerces. 

“Há algum tempo isso já se caracteriza como o principal caminho para o ramo das vendas. Quem quiser se manter competitivo no mercado, tem que se adaptar, ainda mais agora, que muita gente aprendeu a comprar sem sair de casa”, completou. 

Além da aposta na internet, o inimaginável.com também é um exemplo de como atingir diversos públicos. Apesar do histórico costume de segmentar as lojas virtuais, a tendência parece caminhar rumo ao foco nas variedades. 

“Em um período como o atual, as pessoas procuram de tudo no e-commerce. Por que, então, não ter de tudo? No nosso site, vamos de itens para pets até inovações pouco difundidas pelo Brasil. Tem dado muito certo”, finalizou.