O novo Jabá: a fórmula do sucesso para artistas na era da Internet

Nesta matéria, vamos explicar os meios que os artistas vêm usando para alcançar o sucesso e que estão substituindo o tradicional e controverso “jabá”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Anteriormente, quando a palavra “jabá” aparecia em uma reunião ou conversa de músicos, a primeira coisa que vinha à cabeça era o provável alto investimento financeiro, visto que as mídias tradicionais não eram assim tão democráticas. Nesta matéria, vamos explicar os meios que os artistas vêm usando para alcançar o sucesso e que estão substituindo o tradicional e controverso “jabá”.

Hoje, independentemente de networking ou de empresários, os profissionais são capazes de alavancar carreiras e participar com sucesso de pódios digitais. Isso é possível com uma análise de persona (quem deverá ser impactado) e estratégias pensadas de forma única, em prol das necessidades e metas. 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para acompanhar de perto essa evolução das mídias e o boom dos streamings de músicas, podcasts e vídeos, buscamos o pessoal da Acelera Performance, empresa especialista em performar artistas na Internet:

“O artista possui um meio de divulgação acessível, onde ele pode impulsionar seu conteúdo com qualquer valor. Cerca de R$50 reais investidos de forma correta já fazem a diferença para aqueles que não têm um alcance orgânico”, explica Rafael Cerqueira Lima, fundador da Acelera.

Ter um alcance orgânico, para ficar bem claro, é ser mostrado nos mecanismos de busca sem a necessidade de investimentos. Pode ser taxado de bem rankeado aquele que se encontra na primeira página do Google, o que é bem desafiador em um universo de informações e pesquisas tão vastas. 

Atuando de forma hábil na visibilidade cultural de artistas através de estratégias online, a empresa tem se destacado no mercado compartilhando cases de sucesso, construídos diretamente com os artistas, ou através de seus empresários. A K2L 360º, da empresária Kamilla Fialho, ilustrou isso:

O trabalho estratégico da Acelera promoveu artistas conhecidos do público, como 3030, Kevin O Chris, MC Rebecca, além da ex-BBB Bianca Andrade, também conhecida como Boca Rosa, dentre outros nomes com grande alcance no cenário nacional.

Também tiveram sucesso na venda de ingressos de grandes eventos, com a utilização de plataforma idêntica às trabalhadas em e-commerces. Através de marketing de performance, foi possível vender milhares de ingressos, lotando shows de bandas como 3030 e Kevin O Chris, além de festas de coletivos cariocas como Amigos da Onça e Sambotica.

Para o time especialista da Acelera, o marketing sempre esteve por trás de artistas de sucesso, seja pelo pagamento de assessoria de imprensa, contratação de uma distribuidora ou até mesmo anúncios na Internet, que são super importantes hoje em dia para elevar o número de reproduções. 

Tudo isso transformou o bom e velho “jabá” em algo mais acessível, ampliando as formas de atingir um maior número de pessoas interessadas quando há o lançamento de um novo single, por exemplo. 

Com a utilização de estratégias bem desenhadas por um grupo de profissionais, a monetização se torna parte da rotina do artista, garantindo que ele tenha retorno financeiro depois de todo o trabalho dedicado. Mas esse não é o principal objetivo, até porque é muito comum encontrarmos aqueles que fazem sucesso com uma única música e depois desaparecem sem deixar rastro.

Ainda segundo o fundador da Acelera, “a fama é consequência do impacto causado no público certo, através da disseminação de um conteúdo relevante para eles”. Sendo assim, a consultoria se faz necessária para esses artistas, principalmente os independentes, porque esse serviço pode fazer toda a diferença antes da “explosão” da carreira. 

É preciso ter know how, otimização, análise de números e previsões certeiras dos resultados, garantindo o investimento. Tudo isso sem burocracia e com adaptações de trabalhos já realizados para grandes marcas, através de uma expertise que se amplia a cada nova experiência.

O fato é que o jabá não acabou. Ele ainda continua sendo praticado em inúmeras rádios pelo país, inclusive com contratos de gravadoras.

Contudo, a Internet ampliou a forma como um artista pode ser conhecido, oferecendo novas oportunidades para aqueles que contam com o trabalho de profissionais do segmento. As ferramentas estão aí. Basta saber usá-las, ou fazer parceria com quem sabe.

Rafael Cerqueira Lima e Felippe Raposo, fundadores da Acelera Performance (Reprodução)
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio