WH Sallas
WH Sallas (Foto: Divulgação)

Conversamos com o escritor Wallace Henrique Silva, mais conhecido como
WH Sallas, sobre seu novo livro “Chorar, Pensar, Se amar”, procuramos entender as
motivações dele para falar sobre o amor de forma tão intensa. Ele acredita que
podemos ser o que queremos independe de nossas aparências e que a liberdade
está em nosso interior.

Como você se define?

“Eu acho que sou alguém comum até demais. Apesar de ter auto-confiança
em quem eu sou e no que eu faço, eu acho a partir do momento que eu me sint
especial, me sinto diferente em relação a as outras pessoas, tudo perde o sentido.
Somos todos exatamente iguais de uma maneira estranha. Não me sinto confortável
em me definir dessa maneira, me sinto inefável. Eu sou só alguém que tem bastante
coisa para falar, alguém que precisa ser ouvido logo.”
.


LEIA TAMBÉM: De bancária a influencer de sucesso, Enriene Maciel faz sucesso nas redes sociais

Wallace Henrique Silva é um escritor diferente, que acredita no amor a moda
antiga. Ele apesar de sua aparência bastante diferente tem em seu coração o dom
da escrita, que o motivou a compreender o que acontece quando perdemos um
amor, o por que de tanta dor, se é possível seguir em frente e os motivos de muitos
demorarem a se reerguer ou apenas não se reerguerem mais.

Sallas nos disse que começou a escrever em 2013, mas nesta época ele
ainda não conseguia assimilar a importância dos conteúdos que produzia, não tinha
dimensão do quão grande e profundo poderia ser o efeito de seus escritos. Ele ainda
nos fala que o principal motivo de explicitar o que era o amor e a dor que ele podia
causar em seus envolvidos, vêm da não compreensão do que é o amor. Mas sim do
entendimento de enxergar a falta dele no ambiente em que vivemos, sendo essa
vista com muito mais frequência do que a representação da afetividade para com o próximo. O amor para o autor não se resume em amor romântico, apesar deste ser a
sua especialidade, ele crê em outras formas de amar.

O que define o Sallas atualmente?

“Atualmente eu me sinto na obrigação de me permitir sentir e aprender tudo
que é proposto a mim. o Sallas atual é muito diferente do que era alguns anos atrás,
e com certeza será diferente do Sallas do futuro. É essa incerteza de quem eu sou
que me dita meu atual momento. Eu só quero ser a melhor versão de mim mesmo
todos os dias fazendo coisas que me tragam paz. É uma busca interminável, mas
nos faz bem.”
.

O escritor coloca ainda que seu foco sempre está voltado ao amor romântico,
devido a sua devastação, pois ele diz ter visto várias pessoas caírem de forma
singular ao perderem suas grandes paixões, inclusive ele expõe ter passado por
situações de não conseguir seguir em frente após o término de um relacionamento
amoroso.

Para você escrever tem qual significado?

“Escrever para mim, é como se eu pudesse dar outro final para tudo que eu
vivenciei, para tudo que eu vi, ouvi e fiz. Uma música que eu ouço bastante diz:
“Uma frase muda o fim do filme”. É esse sentimento que eu tenho ao escrever, eu
tenho a liberdade de criar outros finais paras minhas histórias, para as histórias das
pessoas que me acompanham. Dentro da escrita tudo é possível. Eu posso reviver
uma dor que estava escondida de uma maneira em que seja possível curá-la. E eu
acho isso incrível. Já ouvi relatos de pessoas que acompanham meu trabalho de
que minhas obras salvaram elas de alguma forma, então imagina o que é escrever
para mim? Ter uma caneta nas mãos que salva vidas? É lindo.”
.

A arte da escrita na sua opinião é uma forma de externar o que habita em
nossos corações?

“Sim.”

Esses términos, muitas vezes inesperados, fazem as pessoas se questionarem do que foi feito de errado? Qual decisão levou ao fim? Como eu vou seguir sem essa pessoa de hoje por diante?

Sallas ainda menciona que muitos não conseguem imaginar seu futuro sem a
presença daquela pessoa e por esse motivo a escolha do tema e do nome do livro, pois todo os términos têm seu período de luto, que deve ser respeitado, para quem o
vivenciou foi doloroso perder alguém com quem dividiu inúmeros momentos.

Então o objetivo do livro é mostrar para quem passa por situações como as
vivenciadas por Sallas e por outras pessoas que se viram sem rumo após a perda
de um grande amor, a possibilidade de recomeçar, entender o que aconteceu,
compreender o processo de aprendizagem que foi esta perda e mais do que isso,
entender o que é o fim de um relacionamento.

O livro é focado nas três fases do fim do relacionamento: a primeira é fase de
luto que você chora, se desespera e não entende a perda desse amor. A segunda é
o questionamento ou a pessoa busca dos motivos de não ter dado certo, ela passa a
se questionar e tentar achar os erros que cometeu. Na terceira fase temos a
recuperação do amor próprio, essa pode-se dizer que é a fase mais crítica de todas,
pois é um processo de autoconhecimento, de recuperar o seu eu, te se conhecer
novamente como você sempre foi.

O autor nos diz que o livro recebeu este nome exatamente por abordar com
tanta exatidão cada uma dessas fases, mencionando a importância de passar por
cada uma delas e de respeitar também quem passa por essas fases.

Ele acredita que a relevância deste tema é principalmente o fato de dar a
atenção devida a quem passa por essa perda, pois na atualidade existem tabus
enormes sobre como lidar com a perda de um amor e como consequência desses
tabus temos resultados catastróficos.

O livro que você escreveu é baseado em vivências? Você acredita que
elas contribuíram para você se entender melhor e compartilhar esse
entendimento com todo seu público?

“Sim, na contracapa do eu deixo isso claro, é o que eu mais gosto no meu
livro. Nada é ficção, é 100% verdade. Tudo no meu livro aconteceu.
Com certeza, escrever o livro foi um processo para mim também, o livro me
ajudou de uma forma imensurável, e agora trazer todo esse conhecimento e
sentimento para ajudar o público era meu objetivo desde o começo.”
.

O fato de dar importância ao que outro esta passando é bem mais do que
pedir para ele seguir em frente, é realmente respeitar cada uma dessas fases, apoiar
e zelar para que a pessoa siga em frente no tempo de aceitação dela.

O livro é um sucesso e em apenas uma noite centenas de exemplares foram
adquiridos. Sallas em suas redes sociais, um dos modos por ele utilizado para
divulgação do livro, tem hoje cerca de 338 mil seguidores e se você quiser saber
mais sobre ele basta clicar aqui: https://www.instagram.com/whsallas/?hl=pt-br e seu
livro encontra-se disponível para aquisição neste link: https://whsallas.com.br/