Xuxa Meneghel
Xuxa Meneghel (Foto: Francisco Cepeda/ AgNews)

A apresentadora Xuxa Meneghel relembrou de algumas polêmicas na carreira, na coluna que tem na Vogue. A famosa falou sobre seu romance com Pelé e sobre o filme ‘Amor, Estranho Amor’.

Ela, que lançará um livro de memórias, disse que sofreu preconceito quando saiu do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro. “Achavam graça do jeito como eu falava, riam do lugar onde eu nasci, diziam que eu era caipira”, falou.

Ainda sem fama, a loira namorou o ídolo Pelé, aos 17 anos. “Foi aí que eu conheci a maldade real das pessoas. Fui chamada de puta, interesseira que queria aparecer às custas de um rico famoso, garota de programa de luxo e muitos outros nomes”, afirmou. “Quando comecei a trabalhar para crianças, aos 20 anos, fui taxada de loira burra, despreparada. Disseram que eu tinha relações com as Paquitas, com minha diretora e que eu não poderia trabalhar com o público infantil”, completou.


Leia mais: Xuxa Meneghel sobre polêmica com Antonia Fontenelle: “Não responderei”

Xuxa também sofreu preconceito após ter sua filha sem ter casado com Luciano Szafir. “Resolvi ter minha filha aos 35 anos sem me casar e disseram que eu era mau exemplo para os públicos infantil e adolescente. O então ministro José Serra, na época, disse até que eu estava incentivando as jovens a seguir o meu exemplo”, relembrou.

“Não ter o pai da Sasha ao meu lado fortaleceu o que sempre falavam: que eu gostava de mulheres, não prestava, era uma prostituta de luxo, etc… Aos 50 resolvi ‘casar’ sem cartório ou festa e, novamente, não sou bom exemplo, já que digo que estou feliz e com cara de bem comida ao lado do homem que escolhi. Isso choca? Sim, choca, porque para muitos, eu não tenho direito de ter uma vida sexual depois dos 50”, falou a musa, que hoje está com Junno Andrade.

Sobre o filme polêmico, a artista falou que sofre até hoje com as críticas. “Eu fazia o papel de uma menina de 15 anos comprada no interior para ser dada a um político. Nada a ver com a minha biografia, mas amam dizer que sou eu, a ‘Xuxa dos Baixinhos’ e não a personagem, menina que foi vendida para um prostíbulo – que aliás é um tema tão atual”, finalizou.

LEIA TAMBÉM: Xuxa Meneghel fala sobre sequelas de abusos sexuais sofridos na infância