Romana Novais e Alok (Foto: Reprodução/Instagram)

Romana Novais usou suas redes sociais para relatar a presença de Alok durante o seu parto. Segundo a mamãe de Ravi, o DJ tem pavor de hospital e passa mal de olhar sangue, mas enfrentou seus medos para ver o nascimento do primogênito.

A médica tinha medo de que Alok não conseguisse estar com ela nesse momento: “Agora quero deixar aqui meu relato sobre como foi importante a presença do Alok nesse momento. A princípio, eu tinha certeza que ele não aguentaria vivenciar comigo essa experiência tanto que quando a minha Doula perguntou qual era o meu maior medo na hora do parto eu nem hesitei e respondi: do Alok não estar presente”.

“Pra quem não sabe, o Alok tem pavor de hospital, não aguenta ver sangue e passava mal de falar nesse assunto até metade da gestação. Ficava branco só de escutar. Evitava tocar no assunto ‘parto'”, explicou.


Ela continuou: “Aos poucos com muita conversa fomos trabalhando isso nele e um belo dia ele me disse que estava preparado. Lógico que primeiramente ele teve que querer trabalhar essa questão nele. E eu sabia que ele queria muito. Ele ressignificou o parto e começou a olhar isso de uma forma mais poética. Amor, foi surpreendente te ver com todo entusiasmo ali do meu ladinho compartilhando a dor e a ansiedade da chegada do nosso filho”.

Por fim, Romana agradeceu ele por enfrentar o momento do parto: “[…] Você foi amigo, você foi amor, você foi calmaria… Obg por embarcar comigo nessa viagem! E sem dúvidas, a mais louca que já fizemos! E pra quem tinha medo disso tudo, finalizar cortando o cortão umbilical, foi no mínimo, demais!”.

View this post on Instagram

Agora quero deixar aqui meu relato sobre como foi importante a presença do Alok nesse momento. A princípio, eu tinha certeza que ele não aguentaria vivenciar comigo essa experiência tanto que quando a minha Doula perguntou qual era o meu maior medo na hora do parto eu nem hesitei e respondi: do Alok não estar presente. Pra quem não sabe, o Alok tem pavor de hospital, não aguenta ver sangue e passava mal de falar nesse assunto até metade da gestação. Ficava branco só de escutar. Evitava tocar no assunto “parto”. Aos poucos com muita conversa fomos trabalhando isso nele e um belo dia ele me disse que estava preparado. Lógico que primeiramente ele teve que querer trabalhar essa questão nele. E eu sabia que ele queria muito. Resumindo, após consultas e mais consultas com a @ericamantelli @domingosmantelli e a @cacauprado , ele ressignificou o parto e começou a olhar isso de uma forma mais poética. Amor, foi surpreendente te ver com todo entusiasmo ali do meu ladinho compartilhando a dor e a ansiedade da chegada do nosso filho. Fecho os olhos e lembro da sua entrega naquele momento, 101% focado. Você fez a diferença no nascimento do Ravi. Fez exercício cmg, segurou minha trancinha quando eu estava na banheira e não queria molhar ela (a primeira foto é a prova disso) fez massagem… você foi o meu ponto de paz quando tudo estava meio bagunçado dentro de mim, enquanto eu não sabia o que eu estava sentindo além da dor você me confortava com o seu olhar. Sentiu dor comigo ao ponto de pedir a anestesia antes mesmo que eu cogitasse. Você foi amigo, você foi amor, você foi calmaria… Obg por embarcar comigo nessa viagem! E sem dúvidas, a mais louca que já fizemos! ❤️ E pra quem tinha medo disso tudo, finalizar cortando o cortão umbilical, foi no mínimo, demais! Fotos da Thali @estudio_thalitacastanha

A post shared by Romana Novais Achkar Petrillo (@romananovais) on