Jojo Todynho (Foto: Reprodução)

Jojo Todynho acordou bem reflexiva na manhã desta segunda-feira (17). A intérprete de Que Tiro Foi Esse?, repostou um texto publicado por Alexandre Souzah, em que fala sobre expressão corporal e sentimentos internos.

“Engole o choro./ Engole sapo./ Cala a boca./ Cala o peito./ Mas o corpo fala, e como fala./ Fala a ponta dos dedos batendo na mesa./ Falam os pés inquietos na cama./ Fala a dor de cabeça./ Fala a gastrite, o refluxo, a ansiedade./ Fala o nó na garganta atravessado./ Fala a angústia, fala a ruga na testa./ Fala a insônia, o sono demasiado./ Você se cala, mas o falatório interno começa”, iniciou.

“As pessoas adoecem porque cultivam e guardam as coisas não digeridas dentro de seus corações./ O normal do ser humano seria a comunicação e conseguir dizer o que está sentindo./ Mas nem todos se habilitam para esse difícil exercício./ Nem sempre digerimos bem aquelas pequenas coisas, como mensagens mal respondidas, as palavras que machucam./ Você finge que não ouviu, engole e tudo isso vai se acumulando até que um dia enche./ Esses pequenos fatos indigestos percorrem a garganta, entram no estômago, invadem o peito, e se deixarmos, calará nossa boca e nossa paz./ O tempo até tem um papel importante, mas não resolve tudo.
Tentar mostrar que tudo sempre está bem requer muita energia, o desgaste emocional é grande”, diz trecho.


Recentemente, Jojo posou nua no box do banheiro durante um banho e fez uma reflexão sobre experiências de vida. “Refletindo na madrugada em umas das minhas orações das 1:30 da manhã, vejo quão misericordioso Deus é comigo e desabafando com ele sobre tudo que passei no decorrer de alguns meses e dias sem tentar queixar-me com Ele, só ter a resposta do por que eu?! Fiz uma retrospectiva de toda a minha vida e cheguei a conclusão que tudo tem sua hora e seu momento, nós até podemos fazer planos mas a palavra final é Ele quem dá, daqui a algumas semanas vou estar fazendo aniversário e como todo ano eu sempre faço festa e esse ano não vou fazer nada, não tenho mas motivos para comemorar e tento não trazer na memória o meu desespero dentro desse banheiro sem questionar os porquês, e sim levar no coração que Deus está no controle, o que me deixa mais feliz é ver a força que eu nem imaginava que tinha, e cada dia venho tirando do papel todos os meus planos e concluindo todas as metas porque eram apenas sonhos e esse ano de 2020 será um ano de muito aprendizado, mudanças e crescimento”, falou a estrela.

View this post on Instagram

Engole o choro. Engole sapo. Cala a boca. Cala o peito. Mas o corpo fala, e como fala. Fala a ponta dos dedos batendo na mesa. Falam os pés inquietos na cama. Fala a dor de cabeça. Fala a gastrite, o refluxo, a ansiedade. Fala o nó na garganta atravessado. Fala a angústia, fala a ruga na testa. Fala a insônia, o sono demasiado. Você se cala, mas o falatório interno começa. As pessoas adoecem porque cultivam e guardam as coisas não digeridas dentro de seus corações. O normal do ser humano seria a comunicação e conseguir dizer o que está sentindo. Mas nem todos se habilitam para esse difícil exercício. Nem sempre digerimos bem aquelas pequenas coisas, como mensagens mal respondidas, as palavras que machucam. Você finge que não ouviu, engole e tudo isso vai se acumulando até que um dia enche. Esses pequenos fatos indigestos percorrem a garganta, entram no estômago, invadem o peito, e se deixarmos, calará nossa boca e nossa paz. O tempo até tem um papel importante, mas não resolve tudo. Tentar mostrar que tudo sempre está bem requer muita energia, o desgaste emocional é grande. CORAÇÃO NÃO É GAVETA! Não dá pra engolir tudo e dizer amém! Eu sei. Também não dá pra sair por aí vomitando as coisas entaladas na sua garganta. Mas dá para se expressar. Tem hora que o sentimento pede pra ser dito, entendido, descodificado, traduzido. Tudo que ele quer é ser exorcizado pela palavra ou pela via que lhe cabe melhor. Expressar tranquiliza a dor. Dor não é pra sentir pra sempre. Dor é vírgula. Então faz uma carta, um poema, um livro. Canta uma música. Pega as sapatilhas, sapateia. Faz uma aquarela. Faz uma vida. Faz piada, faz texto, faz quadro, faz encontro com amigos. Faz corrida no parque. Fala pro seu analista, fala para Deus, para o universo… se pinta de artista. Conversa sozinho, papeia com seu cachorro, solta um grito pro céu, mas não se cale. Pois “se você engolir tudo que sente, no final você se afoga”. Texto: RUTH BORGES Imagem: artista desconhecido (a) CORAÇÃO NÃO É GAVETA! (Post original: Alexandre Souzah) #psicologia #psicoterapia #encontrodealma #sombra #psicossomatica #ocorpofala #simbolos #imagens #sintomas #psicologiaanalitica #jung

A post shared by JoJo (@jojotodynho) on